terça-feira, 13 de setembro de 2011

POEMAS PREMIADOS



Suzano - SP







O PECADOR


Do concreto acato os desacatos
que me acolhem
como quem daninhas ervas
num jardim de prantos colhe.

Acolho nos olhares que me entornam
sentimentos que transtornam
o que a face esconde
no semblante que não ri.

Pecador me perco
a me procurar
meio a parábolas
que não entendi.

Contorno os entornos de uma fé
que não possuo pra não ser ateu
e me absolvo dos pecados
que não cometi.

E possuído pela inexatidão do agora
passo a limpo o amanhã
e me confesso por aquilo que não fiz
para quem sabe ser o condenado pelo que não sei.


E me pergunto, pecador:
Por que me invade esta verdade que  transcende
e que ninguém verá
posto que a vida que ninguém entende
gera perguntas sobre o que será?

Paulo Franco


4º LUGAR
7º CONCURSO LITERÁRIO DE SUZANO