quarta-feira, 10 de agosto de 2011

INTERLÚDIOS

As músicas que estão em nós,
os versos, sonhos, as saudades...
fazem-nos múltiplos.

Contemporâneos,  às vezes.
Passado quase sempre.

Tocamos as coisas
em dó maior do que sabemos
enquanto a pena
rege um texto sem musicalidade alguma.

A vida é uma representação
de vagas sensações
que nos concretizam
resultado de ilusões arrítmicas.

O hoje é executado pelo ontem
ainda que não exista amanhã
e tudo isto nos transcende
à harmonia do infinito que imaginamos.

As músicas em nós
nos acordes se desatam
acalmando os desalinhos
que o silêncio faz na alma
que se orquestra em interlúdios
de um efêmero que não passa.

Paulo Franco

III FESTIVAL "UM JARDIM DE POESIA" - ( Agosto/2011)
BOM JARDIM / RJ
2º LUGAR