quarta-feira, 15 de junho de 2011


A MÁSCARA NO ESPELHO

No espelho
a máscara dirige o meu cenário
de mentiras que me acalmam
no espetáculo de contradições
que represento.

E vejo a sombra que de mim
nos outros resplandece
ser o que nem sei se sou,
mas que no outro
como espelho transparece.

Máscara em mímica
que incorpora o meu papel
e hipnotiza meus sentidos
encorajando a maquiagem 
que me imponho
pra pensar em outro sonho
diferente do que sou.

Um figurante que protagoniza
apenas as cenas de dor.
Dublê de si
que anestesia a cara confinada
num espelho que não tem mais cor.

Máscara despida à minha frente
refletindo as várias fantasias
que estão fora do espelho
em que me assisto.

Fecham-se as cortinas
e o auditório vai embora
enquanto um louco balbucia
que não teve graça
porque a máscara despida
de pirraça ou de pavor,
era a cara maquiada
do seu próprio autor.

                                                    Paulo Franco
POEMA CLASSIFICADO PARA PARTICIPAR DO CD LITERÁRIO
SUZANO - 2011
XIV PRÊMIO CIDADÃO DE POESIA - 2011 - LIMEIRA / SP
SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE LIMEIRA - SINECOL
3º LUGAR - CATEGORIA POESIA

                  CONCURSO "PRÊMIO CATARATAS" - CONTOS E POESIAS 
                  FUNDAÇÃO CULTURAL DE FOZ DO IGUAÇU/PR - 2011
                  9º LUGAR - CATEGORIA POESIA

                  I CONCURSO DE POESIA - REVISTA LITERÁRIA - 2010
                 PORTAL REVISTA LITERÁRIA
                 SINDICATO DOS ESCRITORES DO DISTRITO FEDERAL 
                 E SCORTECCI EDITORA
                 PUBLICAÇÃO EM ANTOLOGIA


                 XII FESTCAMPOS DE POESIA FALADA - 2010
                 FUNDAÇÃO CULTURAL JORNALISTA OSWALDO LIMA
                 DEPARTAMENTO DE LITERATURA  
                 CAMPOS DOS GOYTACAZES/RJ
                 POESIA FINALISTA 

4 comentários:

  1. Bem, o que posso comentar deste aqui? Numa escala de 1 a 10... Nota 11 para este __ A MÁSCARA NO ESPELHO.

    ResponderExcluir
  2. Cris, este poema tem me trazido várias felicidades. Abraços e obrigado pelo carinho.

    ResponderExcluir
  3. Estou feliz porque este poema acaba de receber mais uma premiação. Desta vez foi em Limeira/SP.

    ResponderExcluir